Mais de um ano se passou desde que voltei para Tupã, a cidade onde cresci mas não nasci.
  Em 16 de Março de 2020, no meu vigésimo aniversário, meu presente foi passar o dia enclausurado em um ônibus e em um carro. Contrariado pois meu pai nunca houvera levantado a voz para mim antes, e não botando muita fé no real peso da situação que estávamos entrando. Inclusive só levei poucas mudas de roupa que uma mochila era suficiente para carregar.
  Esperava ficar no máximo uma semana ou pouco mais que isso, já que depois de me acostumar com a cidade grande, não cogitei voltar ao interior por um bom tempo. Quem me dera acontecesse dessa forma…
  Num piscar de olhos toda a nossa realidade já não era mais a mesma; foram tantas perdas, renúncias e frustrações que certamente foi um ano para entrar na história.
  Infelizmente eu fui um dos afetados pela pandemia, a qual levou meu pai. Não há um dia sequer que eu não sinta sua falta, mas essa é minha história e não posso deixar que as páginas anteriores sejam as últimas.
  Na verdade, nenhum de nós deveríamos pensar dessa forma.
  Essa pequena cidade foi meu palco por quase vinte anos, assim como é de muitos habitantes que passei por e nem sei.
  Vi e vivi muitas coisas, grande parte delas hoje são memórias dolorosas mas que me motivam a seguir em frente e melhorar, pois quando situações semelhantes vierem ao meu encontro, o impacto seja menor.
  Já fui chamado de muitos nomes, até me pergunto como vou ser creditado quando essa história chegar ao fim.
  Não importa qual sua idade, quem você é ou quais são suas metas, as adversidades e revoltas sempre estarão presentes em nossas vidas.
  Mesmo que o ponto principal de encontro da cidade seja uma avenida e nossos pontos turísticos sejam lanchonetes e farmácias, brincadeiras à parte, devemos nos orgulhar de nossas pequenas conquistas.
  Em tempos difíceis como o que estamos vivendo, pude perceber o quão forte e determinado é o ser humano quando precisa sobreviver, só não podemos deixar de aceitar quando a situação já não é mais favorável e devemos começar outro capítulo em nossas vidas.
  Antes um adolescente incompreendido, me sentia injustiçado perante as circunstâncias que me assolaram, mas hoje sei que os galhos e pedras que me atiravam são o alicerce que me fortalece e construíram o meu trono, onde descanso. Talvez esperassem que eu as usasse para construir muros e fortalezas, mas construí pontes e me orgulho do meu pequeno império.
  Acredito que só há mudança quando há desconforto, mas nada nos impede de começar uma revolução interior sempre que necessário.
  Contudo, tudo que começa tem de terminar um dia.
  Como Pompéia, minhas erupções agora petrificam o que ficou para trás; uma parte da minha história eternizada em meu peito, mas como a fúria de um vulcão que sua lava incessante consome tudo em sua frente, eu vou, até o dia que eu me torne extinto.

Compartilhe esse artigo nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on email
Email
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email

SOCIAL BY MARÔ VIANA – ANO I – EDIÇÃO 230

Fernanda Buono em 20 de outubro de 2021 encerrou  mais um ciclo em sua  vida. Defendeu a monografia da segunda pós-graduação. Em higiene ocupacional na Universidade de São Paulo-USP. Após o termino de seu colegial, ou ensino médio, a vida da Fernanda foi sempre assim, estudos, capacitações, pesquisas, dissertações e

SOCIAL BY MARÔ VIANA – ANO I – EDIÇÃO 229

Segundo a doutrina da Igreja Católica, o batismo não só é um sacramento de inclusão na Igreja, no Corpo Místico de Cristo, como também é necessário para a salvação. … Uma vez batizado, o cristão é um filho de Deus e um membro da Igreja e também pertence para sempre a Cristo, se perseverar

SOCIAL BY MARÔ VIANA – ANO I – EDIÇÃO 228

Todo o glamour da noiva Ana Paula Marcuzzo Calderaro, vestida de SANDRO BARROS na festa e a linda daminha Heloisa vestida por Ateliê Zeuda Rebouças ambos os vestidos dignos de princesas até parece obra de arte feito a mão Primos queridos Gustavo Coelho Dias, residente em Maringá e  Leandro Coelho 

SOCIAL BY MARÔ VIANA – ANO I – EDIÇÃO 227

Prof Dr Edmund Chada Baracat Linhas de Pesquisa: Análise morfológica, bioquímica, molecular, imunológica e clínica do sistema reprodutor de mulheres férteis e inférteis. Estudos experimentais clínicos. Aspectos morfológicos, bioquímicos, moleculares, clínicos e terapêuticos no climatério: Estudos experimentais clínicos. Efeitos histomorfológicos, bioquímicos, moleculares, sexuais e terapêuticos no climatério: Estudos experimentais e clínicos Enfoque: Ginecologia

festival Gastronômico – recanto motel

de 16 à 23 esta acontecendo no recanto motel tupã o festival gastronômico, neste período todos os pratos estão com 30 % de desconto, pois como todas as novidades e o recanto prima por serviço de excelência, os ajustes de temperatura e adequação aos pratos você ganha este mega desconto

energia solar – SINERGIA

Estamos colaborando para criar soluções energéticas eficientes. Descubra SINERGIA. O futuro depende do trabalho sustentável que fazemos hoje. Com eficiência em . eficiência Energia Solar. Sustentabilidade. O que é Energia Solar Fotovoltaica? É o resultado da conversão da energia solar em energia elétrica, possibilitando a sua utilização doméstica, comercial, industrial

SOCIAL BY MARÔ VIANA – ANO I – EDIÇÃO 226

Maria Eduarda Baracat Sanchez, celebrou mais um ano de vida recentemente, muitas mensagens, muitos, presentes, grandes carinhos para lembrar o quanto é querida  a matriarca  nos altos da Fazenda Bandeira, um brinde especial a esta data querida Maria Flavia Baracat Sanchez acompanhou todos os destelhes de perto para o editorial

Rolar para cima